Pesquisar este blog

OBm Toque Zero

OBm Toque Zero
OBM TOQUE ZERO

domingo, 16 de julho de 2017

Criatividade: Steve Jobs e o Iphone

Steve Jobs por si só é sinômino de genialidade, conhecido por revolucionar a informática, gerar tendências e assim ser seguido por todos. Neste post vamos seguir os passos e contar como Steve Jobs chegou ao Iphone, e acredito que esta história nunca foi contada desta maneira.

A empresa japonesa Sony encomendara uma pesquisa para saber se as pessoas comprariam um "radinho" com fones de ouvido para curtir sua música preferida enquanto caminhava ou praticava esportes, e o resultado desta pesquisa, para surpresa em nossos tempos atuais, foi que o produto seria um total fracasso!! Mesmo assim a Sony resolveu apostar no Walkman. 


A história deste produto todos nos sabemos, foi um sucesso total!! Afinal as pessoas não sabem nem o que querem, cabendo ao inventor justamente surpreende-las, máxima que Steve Jobs sabia usar como ninguém. 

Mas afinal o que o walkman tem a ver com o Iphone? Sim.. foi nele que tudo começou.


A tecnologia não parava de evoluir, e os tocadores passam de analógicos para digitais. Após uma breve passagem pelos CDs, começaram a chegar no mercado os MP3. 
Agora os tocadores não mais necessitam de midias físicas, mas um simples arquivo compactado cabe aos milhares dentro de um pequeno dispositivo. 


Foi ai que a Apple lançou seu tocador de MP3, o qual recebeu no nome de Ipod. Este dispositivo veio em um momento que não poderia ser melhor para Apple, pois vendeu aos milhares, ajudando em muito a impulsionar esta empresa que estava se recuperando de inúmeros contratempos do passado. Só para lembrar o Ipod nada mais é que um tocador MP3, porém com um status diferenciado pelo seu design, charme e por estar associado a loja Itunes. Os Ipods dominavam quase a totalidade de tocadores do mercado americano, quase uma unanimidade, ocupando mais de 90% dos usuários. 

Mas afinal, o que tudo isso tem com a criação do Iphone? Steve Jobs, sempre de olho no futuro teve a grande sacada. Ele imaginou que em futuro breve os tocadores cairiam no ostracismo, assim como aconteceu com o Walkman, afinal com um único dispositivo poderia se carregar tudo em seu bolso. Os recém chegados celulares poderiam agregar os tocadores, além de várias outras funções.



Assim nasceu o que muitos chamam de pai do Iphone, o celular Rockr em parceria com a Motorola. E o resultado foi mais um fracasso para a coleção da Apple. Sim.. a Apple coleciona fracassos, e embora não seja o intuito desta matéria falar sobre os produtos da Apple que não vingaram, fica a dica de que o sucesso depende da perseverança. 

veja o comercial do lançamento do Rockr

As pessoas então passaram a questionar Steve Jobs: 
Afinal, é este o produto revolucionário que você nos prometeu!!!

E foi neste momento que um engenheiro do laboratório de desenvolvimento da Apple apresentou o protótipo do Ipad (que também era a evolução do assistente pessoal Newton),
Assistente Pessoal Newton
E assim surgiu a ideia de conceber os Smartphone como conhecemos hoje: tela total sem teclado, cheio de aplicativos e acionado exclusivamente pelo dedo (aposentando a canetinha Stylus).


Vejam!!! Os produtos não nascem do nada, é sempre uma sequência de fatores que se somam, de oportunidades que tem o momento certo para dar certo, perdeu o bonde já era.

As lições de inovação de Steve Jobs, segundo seu biógrafo


Pensar mais no produto do que no lucro

De acordo com Isaacson, Jobs acreditava que, investir em um algo único e bonito, consequentemente levava ao lucro. O foco nos resultados poderia causar a necessidade de cortes durante o desenvolvimento do produto e este sofreria perda de qualidade.

Cuidar do que está por dentro, e não somente do que é visível

Em uma das conversas para a biografia, Jobs levou Isaacson até uma cerca que ele havia construído junto com seu pai, na infância. No momento da construção, o pai tinha dito a ele que o lado interno da cerca deveria ser tão bonito quanto o de fora. Jobs argumentou dizendo que ninguém veria aquela parte e seu pai retrucou dizendo: “mas você sabe”.
Essa foi a lógica que Jobs usou para desenvolver todos os seus produtos, segundo Isaacson. Quando produziu o primeiro Macintosh, em 1984, ele disse aos engenheiros que o circuito impresso do computador era horrível porque os chips não estavam alinhados. Então, eles redesenharam toda a sua parte interna, antes de voltar a vendê-lo.

Cuidar da embalagem

Assim como os produtos da Apple, a caixa que os embala também foi desenvolvida com paixão e, inclusive, é patenteada. “O produto está ali como se fosse uma joia. Se as pessoas vêem um embrulho bonito, elas acreditam que o produto é de qualidade”, diz Walter Isaacson.

Distorcer convicções

Sgundo Isaacson, Jobs sabia como ninguém obrigar as pessoas a fazer o que elas achavam impossível. Certa vez, quando trabalhava com Steve Wosniak na Atari, ele disse ao colega que precisavam desenhar o jogo em quatro dias. Wosniak disse que aquilo era impossível e então Jobs o olhou fixamente, sem piscar, e disse: “Não tenha medo, você pode”. E o jogo foi desenvolvido em quatro dias. A técnica, de acordo com Isaacson, Jobs aprendeu com um guru, em uma viagem à Índia e foi usada para conquistar muitas coisas que, à primeira vista, pareciam impossíveis.

Capacidade de pensar diferente

“Jobs sabia que a imaginação e a criatividade só existem quando você está disposto a ser meio rebelde, a pensar diferente”, afirma Isaacson.

Acreditar na beleza da simplicidade

A simplicidade sempre foi a premissa de Jobs para desenvolver seus produtos. Quando ele resolveu criar o iPod, nos tempos em que a Apple só fabricava computadores, o argumento que ele usou foi o de que todos os dispositivos de reprodução musical (os populares aparelhos de mp3) que já existiam eram “sem graça, porque eram complicados demais e tinham um menu chato e uma interface horrível”, diz Isaacson.
“Eles não tinham a beleza da simplicidade”, completa o escritor. Por isso, ele quis desenvolver um produto em que qualquer um pudesse acessar uma infinidade de músicas em três cliques.

Não ter medo de inovar

Quando Steve Jobs decidiu criar o iPhone, com o insight de que “o mundo iria se tornar móvel”, alguns de seus funcionários acharam que ele tinha ficado maluco. Isso porque o smartphone “engoliria” o iPod ao oferecer uma plataforma de armazenamento e reprodução de músicas igual à do aparelho. Ele, porém, não exitou: “ou nós canibalizamos, ou alguém nos comerá no almoço”, disse Jobs, segundo Isaacson

Nenhum comentário:

Postar um comentário